Serra da Catedral

Jalapão Sem Guia: Como Viajar ao Jalapão Por Conta Própria?

No artigo de hoje, a DiegoTour reuniu algumas dicas para você saber como conhecer o Jalapão sem guia.

Um dos maiores desafios de explorar um lugar novo é saber quais atrações visitar e como chegar até elas.

É por isso que muitos turistas acabam optando por contratar um guia, mas o acompanhamento de um guia turístico pode encarecer o custo da viagem.

O Jalapão é uma das maiores regiões turísticas do Brasil. Seu território de 34 mil km² abrange vários municípios. Entre eles, São Félix do Tocantins, Ponte Alta do Tocantins, Mateiros e Novo Acordo.

Conhecido por seus fervedouros e cachoeiras, o Jalapão é um festival de belezas que você não pode deixar de conhecer.

Adiante, você verá dicas de como montar um bom roteiro de viagem e quais passeios escolher para fazer sem guia no Jalapão.

Saiba agora quanto ficará sua viagem ao Jalapão

Enviamos gratuitamente para você um pdf contendo todas as atrações do Jalapão

Como curtir o Jalapão sem guia?

Curtir o Jalapão sem a ajuda de um guia não é impossível, nem tão difícil quanto parece.

Os atrativos estão espalhados em várias direções dentro do vasto território do Parque Estadual do Jalapão, mas com um planejamento inteligente e adequado é possível sim ver todos os lugares que você quer dentro do tempo de que você dispõe.

Então, vamos conferir essas dicas super legais para te ajudar a conhecer o melhor do Jalapão sem precisar gastar dinheiro com um guia turístico?

Como chegar ao Jalapão sem guia?

Como chegar ao Tocantins?

Independentemente do seu local de origem, a melhor maneira de chegar até o Jalapão é voando até Palmas.

Ir para Palmas de avião é a opção que mais vale a pena em todos os aspectos que você considerar: é mais confortável, mais rápido e o valor compensa muito.

Sim, as passagens de avião têm fama de serem artigo de luxo, mas uma pesquisa de preços simples revela uma realidade diferente.

Como um exemplo, passagens de ida e volta partindo de São Paulo com destino a Palmas custam a partir dos R$500. A viagem leva em torno de 2h30.

De ônibus, os preços das passagens começam por volta dos R$300, sem incluir a volta (outros R$300 ou mais), e são pelo menos 30 horas de estrada.

Como chegar ao Jalapão?

Uma vez em Palmas, você pode chegar ao Jalapão por alguns caminhos diferentes: as principais portas de entrada para o Parque Estadual do Jalapão são as cidades de São Félix do Tocantins, Mateiros e Ponte Alta do Tocantins.

Uma dica legal é dar uma olhada no que cada uma dessas cidades oferece antes mesmo de sair de casa. Assim você já escolhe também a melhor opção de hospedagem.

Também é importante ter em mente que os atrativos no Jalapão se encontram bem afastados uns dos outros.

Então, se você vai visitar o Jalapão sem um guia e não pretende contratar um pacote de viagem, o ideal é alugar um carro já em Palmas, e de preferência um com tração 4×4, para enfrentar o chão de terra bruto do cerrado do Tocantins.

O caminho mais escolhido por quem visita o Jalapão é seguir pela TO-030 até o município de Santa Tereza do Tocantins, e então pela TO-130 até Ponte Alta, ou então pela TO-255 até Mateiros.

A viagem até Mateiros pelas estradas dura aproximadamente 5h. De Palmas até Ponte Alta do Tocantins, a viagem leva pouco mais de duas horas.

Passeios para fazer sem guia no Jalapão

Prainha do Rio Novo

Prainha do Rio Novo
Fonte: Manoel Rebello (Flickr)

Tome seu café da manhã bem reforçado e entre no carro para conhecer a primeira atração, a Prainha do Rio Novo. Saindo de Mateiros, dirija 45 km pela TO-255 e pronto. É só isso mesmo.

A Prainha do Rio Novo possui uma orla de areia fina banhada pela água tranquila. É uma ótima pedida para um passeio relaxante e refrescante no calorão do Jalapão.

E a melhor parte é que já fica na mesma estrada para outra atração imperdível: a Cachoeira da Velha.

Cachoeira da Velha

Cachoeira da Velha
Fonte: Lonely Planet Brasil (Flickr)

Chegar à Cachoeira da Velha por conta própria é fácil. O caminho é reto na maior parte do trajeto. Saindo de Mateiros, dirija por 90km pela TO-255.

Se você estiver saindo de uma visita à Prainha do Rio novo, esse número abaixa para 46 km.

Vire à direita no Trevo da Cachoeira da Velha. O caminho até lá faz poucas mudanças de estrada, mas com um bom mapa não tem erro.

A Cachoeira da Velha é uma enorme queda d’água, com um volume tão impressionante que nem se permite o banho em suas águas.

A visitação para observação é gratuita, mas a eletrizante prática de rafting custa R$170 por pessoa.

Comunidade Mumbuca

Comunidade Quilombola Mumbuca
Fonte: Raoni (Flickr)

Vale a pena conhecer a Comunidade Mumbuca e a famosa feira de artesanato de capim dourado, a principal atividade econômica que sustenta os moradores do povoado.

O capim dourado é famoso no Brasil inteiro por seu forte brilho metálico semelhante ao ouro.

Nessa comunidade, polo da manufatura de capim dourado no Tocantins, se fabricam e vendem variadas peças confeccionadas com o material, desde brincos, colares e chapéus até sandálias e bolsas.

A Comunidade Mumbuca também fica em Mateiros, a uma hora de carro do Centro, pela TO-110, estrada que também é caminho para o Fervedouro do Ceiça, que é imperdível e fica um pouquinho antes da entrada do povoado.

Fervedouro do Ceiça

Fervedouro do Ceiça
Fonte: Manoel Rebello (Flickr)

Localizado a 25 km do Centro de Mateiros pela TO-110, o Fervedouro do Ceiça foi o primeiro ponto turístico do Jalapão a ser aberto ao turismo.

Ele é famoso pela força de sua nascente subaquática que proporciona uma intensa sensação de flutuação aos seus banhistas.

Cachoeira do Formiga

Cachoeira do Formiga
Fonte: Sílvia do Nascimento (Flickr)

A apenas 15 minutos (1o km) do Fervedouro do Ceiça fica a Cachoeira do Formiga, e logo a seu lado o Fervedouro do Buritizinho, conhecido por ser o mais bonito do Jalapão.

A cachoeira do Formiga não é muito alta, nem tão gelada como as cachoeiras costumam ter fama de ser.

A água verde esmeralda é um encanto, e os turistas se divertem descendo o Rio Formiga de Boia Cross.

Pedra Furada

Pedra Furada
Fonte: Fábio Malaguti (Flickr)

Uma experiência das mais incríveis nas terras do Jalapão. Sem dúvida, esse é o melhor jeito de descrever a Pedra Furada.

Uma grande rocha de arenito multicolorido cujo formato peculiar foi moldado pelo vento ao longo dos anos. É um lugar perfeito para assistir ao pôr do Sol e tirar fotos espetaculares.

A Pedra Furada fica a 29km do centro de Ponte Alta pela TO-130, e a entrada é gratuita.

Dunas do Jalapão

Dunas do Jalapão
Fonte: Josadaik Alcântara Marques (Flickr)

Um dos pontos turísticos mais notáveis da região do Jalapão é, sem dúvida, o seu incrível conjunto de dunas.

As Dunas do Jalapão são um verdadeiro espetáculo da natureza, imitando o visual dos Lençóis Maranhenses em meio ao cenário do cerrado

Serra da Catedral

Serra da Catedral
Fonte: IngridLummy (TripAdvisor)

Situada a 29 km do centro de São Félix do Tocantins, (e muito próxima à famosa Cachoeira das Araras), a Serra da Catedral é mais um dos pontos turísticos interessantes e curiosos do Jalapão.

A grande pedra em forma de igreja que fica nessa área de conservação encanta os viajantes há décadas.

Fervedouro Bela Vista

Fervedouro Bela Vista
Fonte: Manoel Rebello (Flickr)

A apenas 4 km do Centro de São Félix do Tocantins, o Fervedouro Bela Vista é o favorito dos viajantes que visitam o Jalapão.

Ele possui a piscina mais ampla em comparação a todos os outros, e sua água verde esmeralda é tão cristalina que você pode ver cada detalhe do fundo com absoluta clareza.

Ao redor do fervedouro, a natureza completa o cenário com uma vegetação rica. Um sonho de lugar!

Lagoa do Japonês

Lagoa do Japonês
Fonte: Sergio Schvezov (Flickr)

Localizada fora do no perímetro oficial da região do Jalapão, a Lagoa do Japonês é mais um passeio imperdível para fazer no Tocantins.

Você pode encaixá-lo em qualquer dia do seu roteiro, quando sobrar um tempinho, especialmente se tiver se hospedado em Ponte Alta.

A Lagoa do Japonês possui águas muito cristalinas e de um tom de azul surreal. A paisagem é decorada por formações rochosas belíssimas.

A Lagoa está localizada no município de Pindorama do Tocantins, a 1h30 de Ponte Alta.

Dicas para evitar problemas ao curtir o Jalapão por conta própria

  • Estude: Estude com detalhes o lugar para onde você está indo. Se informe sobre a condição das estradas, sobre o clima na época das suas férias, onde se hospedar, onde comer, o que levar, onde ficam os postos de gasolina, quais passeios ficam próximos da sua hospedagem e quais ficam longe e quanto eles custam.
  • Planeje: Com todas essas informações levantadas, é hora de planejar tudo tintim por tintim. Escolha os passeios que você quer fazer, decida se você vai passar todos os dias da viagem na mesma cidade, e defina a ordem dos programas que você quer fazer. Tenha um plano B para emergências.
  • Administre o tempo: Quanto mais tempo dura a viagem, mais dinheiro você gasta. Por isso a maioria das viagens não costuma se estender por mais que 3 ou 4 dias, e esse tempo é perfeito para você conhecer as principais atrações do Jalapão, mas para isso, você tem que saber organizar seu tempo de maneira inteligente. Por isso, organize seus passeios de acordo com a forma como eles se posicionam ao longo da estrada, e não deixe de calcular o tempo que você vai gastar dirigindo.
  • Faça cálculos: Reunindo todas as informações essenciais para fazer o planejamento das suas férias, você tem como calcular exatamente quanto dinheiro você vai gastar durante sua estadia no Jalapão (mas isso também vale para qualquer outro destino).
  • Tenha um mapa físico: Comprar um bom mapa ainda é importante, mesmo em tempos de GPS. Ele reúne todas as informações importantes sobre as estradas e caminhos bem à mão, sem que você precise ficar pesquisando. E especialmente no Jalapão, que é um lugar de interior raiz, 100% rústico, o sinal da internet pode não funcionar em muitos pontos, comprometendo drasticamente a sua capacidade de orientação se você for depender somente da tecnologia.
  • Não deixe de levar: Protetor solar, óculos de sol, um bom par de tênis (porque praticamente todas as atrações são acessadas por trilhas), repelente e dinheiro em espécie. O princípio é o mesmo da dica do mapa físico: não dependa apenas do cartão de crédito, porque o sinal da maquininha pode não funcionar bem nos lugares de interior.

Melhor época para visitar o Jalapão

O clima do cerrado brasileiro é muito bem definido: costuma se dividir entre estação seca e estação chuvosa.

A estação seca corresponde aos meses de outono e inverno, mais ou menos de maio até agosto.

É a melhor época para visitar o Jalapão porque tem Sol brilhando no ápice quase todos os dias, um calorão que vai bem com os mergulhos que você vai dar e um céu límpido e azul que dá um tom especial às paisagens.

Essa época também coincide com as férias escolares de julho, então para quem viaja com crianças é o ideal.

A estação seca corresponde aos meses da primavera e do verão, de setembro até abril. São meses chuvosos e de céu nublado grande parte do tempo, mas o calorão não falta.

Considerações finais

E aí, gostou dessas dicas?

Independentemente de você escolher se deve entrar no carro e explorar o Jalapão por conta própria ou procurar agências de turismo e guias, o importante é não deixar de conhecer esse lugar incrível!

A DiegoTour tem os melhores pacotes e serviços para sua viagem ser perfeita.

Viva essa experiência com a melhor agência de turismo do Jalapão. Entre em contato com a DiegoTour hoje mesmo!

FAQ

Precisa de guia no Jalapão?

Depende. É perfeitamente possível se locomover pelo Jalapão sem um guia se você tiver feito o planejamento adequado, embora não seja muito recomendado. As estradas do Jalapão são muito diferentes das estradas asfaltadas comuns e exigem um certo preparo. Além disso, alguns passeios são feitos exclusivamente com o acompanhamento de um guia, como é o caso da subida da Serra do Espírito Santo. De qualquer forma, é valido contratar uma pessoa especializada ou pacote de viagem para fazer seu passeio com uma maior tranquilidade e completude.

Quanto custa guia no Jalapão?

Se você não pretende contratar uma agência de turismo para ajudar a planejar sua viagem, mas não sente muita segurança na ideia de ir ao Jalapão 100% por conta própria, talvez valha a pena contratar um guia turístico particular para orientar os passeios. A diária desses profissionais costuma custar entre R$150 e R$250.

Pacotes Personalizados para o Jalapão

Converse agora com nossos atendentes!